MPC-RS vai investigar se depósito parcial do salario parcelado de servidores poderia ter sido maior

Os deputados Luiz Fernando Mainardi, do PT, e Juliano Roso, do PC do B, estiveram no Tribunal de Contas do Estado e no Ministério Público de Contas para apresentar documentos comprovando, conforme os parlamentares, que o governo gaúcho tinha R$ 270 milhões em depósitos judicias em 31 de agosto. Para os petistas, o montante era suficiente para pagar uma primeira parcela de quase R$ 1,4 mil para todo o funcionalismo.


O pedido é para que haja uma apuração a fim de saber se esse dinheiro tinha ou não como ser utilizado para complementar uma parcela superior à que foi paga, no valor de R$ 600. "Nós fomos muito bem recebidos e houve a garantia de uma análise adequada. O fato é muito claro, a Constituição determina o pagamento integral, que já é desrespeitado, e o governo tinha dinheiro para pagar uma parcela mais alta que a que foi depositada", reiterou Mainardi.


Os dados obtido junto ao Tribunal de Justiça foram entregues para o presidente do TCE, Cezar Miola, e para o procurador-geral do MPC, Geraldo Da Camino. O presidente do TCE solicitou uma averiguação junto à diretoria de controle externo da Corte. Não há prazo para a conclusão do trabalho. O MPC já havia solicitado uma auditoria sobre as medidas administrativas da gestão Sartori e também sobre o decreto de contenção. O relator da matéria é o conselheiro do TCE, Estilac Xavier.




0 visualização
AMPCON

Associação Nacional do Ministério Público de Contas

E-mail: geral@ampcon.org.br

Telefones: (61) 3533-6505   |  (61) 99533-5088

Sede: SCN, Quadra 4, Bloco B, Nº 100, Sala 1201.

Asa Norte - Brasília/DF - CEP 70.714-900
Subsede administrativa: Av. Nazaré, Nº 766.

Nazaré - Belém/PA - CEP 66.035-145

AMPCON © 2019

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram