Ministro do STJ palestra em Maceió sobre administração pública

A tarde desta sexta-feira (28), terceiro dia de palestras do XII Congresso Nacional do Ministério Público de Contas, foi aberta com a palestra do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Humberto Martins. A explanação teve como tema central a transparência na administração pública por meio da Lei de Acesso à Informação e dos portais da transparência.

"A publicidade tem de ser concebida e utilizada com produtividade e para o interesse geral, coletivo. Tendo isso em vista, o Estado Democrático de Direito só é possível com a existência de informação pública produzida e difundida com qualidade", afirmou Humberto Martins.

De acordo com o ministro, a transparência mostra um retrato da sociedade por meio dos poderes constituídos e tem o dever de responder aos anseios e inquietudes do povo. Ele asseverou que a regra em todos os processos públicos deve ser a seguinte: informações claras, transparentes e a serviço do cidadão brasileiro.

"Para um país ser próspero, é preciso combater as desigualdades sociais e isso se faz através de mecanismos de informação e transparência. Se estamos a exercício do cidadão, vamos trabalhar em prol de uma democracia fortalecida e plena. Todos nós que exercemos funções de poder somos inquilinos dele, pois o dono é o cidadão", opinou.

"Alagoas, meu bem querer"

Alagoano, Martins encerrou sua participação exaltando as belezas naturais do estado e citando grandes nomes da cultura local, como o músico Djavan, em seus versos "Alagoas, meu bem querer", e o jurista Pontes de Miranda.

"É uma honra muito grande recordar a minha Alagoas e participar de tão importante evento, discorrendo sobre um tema de extrema relevância para a democracia brasileira. Tomo, nesse momento, as palavras do conterrâneo Pontes de Miranda, que sensivelmente colocou o Direito como instrumento de pacificação da sociedade: 'o direito é a regulamentação da luta pela vida em busca da paz'".

Controle externo: avanços e mudanças

Na sequência, houve a palestra do deputado federal Francisco Praciano, que desenvolveu o tema "Perspectivas do sistema constitucional de controle externo: avanços e mudanças necessárias". O parlamentar afirmou que é necessário melhorar a qualidade política do Brasil e que, atualmente, as instituições não estão a serviço da sociedade. "A riqueza de um país pode ser medida por sua qualidade política e institucional e o Brasil requer uma reforma", disse.

O painel contou com a contribuição dos debatedores Diogo Ringenberg, presidente da Associação Nacional do Ministério Público de Contas (AMPCON), e Paulo Curi, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e diretor de assuntos corporativos da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas (Atricon).

Fonte: Jornal de Alagoas - AL




2 visualizações
AMPCON

Associação Nacional do Ministério Público de Contas

E-mail: geral@ampcon.org.br

Telefones: (61) 3533-6505   |  (61) 99533-5088

Sede: SCN, Quadra 4, Bloco B, Nº 100, Sala 1201.

Asa Norte - Brasília/DF - CEP 70.714-900
Subsede administrativa: Av. Nazaré, Nº 766.

Nazaré - Belém/PA - CEP 66.035-145

AMPCON © 2019

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram