Jornal Nacional destaca atuação do MPC-SC contra desperdício de meio bilhão em ponte

O Ministério Público de Contas de Santa Catarina quer responsabilizar os governos estaduais das últimas três décadas pelos gastos na manutenção e recuperação da ponte Hercílio Luz, um cartão postal de Florianópolis. A matéria foi ao ar no Jornal Nacional, da TV Globo de 30/09/2015.

Segundo o MPC-SC, o dinheiro gasto até agora daria para construir três pontes novas. E a Hercílio Luz continua fechada e com risco de cair.

Ela é uma velha senhora. O maior símbolo, o cartão postal de Florianópolis. Mas está doente, com problemas na estrutura, que segundo o engenheiro Honorato Tomelin, podem provocar um desabamento.

“O risco é real. Nós tivemos cinco pontes dessa no mundo. Duas desmontaram, duas caíram, morreu gente. E esta é a única que continua de pé”, afirma Honorato Tomelin, da Associação Catarinense de Engenheiros.

Foi graças à ponte Hercílio Luz que a parte de Florianópolis que fica numa ilha ganhou ligação com o mundo, noventa anos atrás. Mas a manutenção foi deixada de lado. Um dos elos das correntes que seguram o vão da ponte acabou rachando. Isso foi há 33 anos. Desde então, a ponte está interditada. Não passa gente, nem carros.

Neste tempo, o governo de Santa Catarina já gastou uma fortuna com obras de reforma e manutenção da ponte, que é a última do seu tipo ainda em pé no mundo. Sabe quanto foi gasto? Muito, demais, segundo o Ministério Público de Contas de Santa Catarina. Foi tanto dinheiro que daria pra construir três pontes novas do mesmo tamanho.

O procurador Diogo Ringenberg fez as contas. Em três décadas, os governantes desembolsaram mais de meio bilhão reais em valores atualizados.

“Esse valor foi obtido através dos contratos firmados pelo governo do estado e que tinham como objeto a manutenção, a revitalização da ponte Hercílio Luz”, afirma Diogo Ringenberg, procurador do Ministério Público de Contas.

Agora, o Ministério Público de Contas do estado pediu a abertura de um processo para responsabilizar os administradores. O procurador quer também que o governo tenha um plano de emergência em caso de desastre.

A estimativa é que a recuperação total da ponte Hercílio Luz custe mais R$ 500 milhões.

“Uma lástima. Um vergonha em termos de administração pública. Ela deve passar a representar para o estado de Santa Catarina um monumento à má gestão dos recursos públicos”, defende Diogo Ringenberg.

O governo de Santa Catarina não quis comentar a representação do Ministério Público de Contas do estado. Mas declarou que as obras de sustentação da ponte estão seguindo dentro do prazo previsto.

FONTE: TV GLOBO




0 visualização
AMPCON

Associação Nacional do Ministério Público de Contas

E-mail: geral@ampcon.org.br

Telefones: (61) 3533-6505   |  (61) 99533-5088

Sede: SCN, Quadra 4, Bloco B, Nº 100, Sala 1201.

Asa Norte - Brasília/DF - CEP 70.714-900
Subsede administrativa: Av. Nazaré, Nº 766.

Nazaré - Belém/PA - CEP 66.035-145

AMPCON © 2019

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram